Segunda-feira
15 de Outubro de 2018 - 
Contato (61) 98607-0449 (WhatsApp) / (61) 3972-4128

DECISÃO: TRF1 reclassifica conduta do réu para contrabando mantendo condenação pela venda de medicamentos sem registro

A 4ª Turma do TRF 1ª Região manteve a condenação de um réu a um ano e oito meses de reclusão pela prática do delito de contrabando e reduziu o pagamento de multa para 10 dias-multa à base de 1/30 do salário mínimo da época do fato. Em primeira instância, o réu havia sido condenado a um ano e oito meses de reclusão e ao pagamento de 200 dias-multa pelos crimes de importação de medicamentos falsificados e comercialização de remédios sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O relator foi o juiz federal convocado Leão Aparecido Alves. Ministério Público Federal (MPF) e Defensoria Pública da União (DPU) recorreram ao Tribunal. O órgão ministerial requereu a majoração da pena sustentando que o réu expôs à venda grande quantidade de produtos com fins medicinais falsificados/adulterados e sem registro na Anvisa; que é “muito mais grave vender medicamentos falsificados do que vender drogas”. Alegou que a pena foi reduzida com base na primariedade e nos bons antecedentes do réu e que a quantidade e a qualidade do medicamento apreendido deve ser valorada negativamente como circunstâncias preponderantes. Afirmou que o Juízo sentenciante desconsiderou, no caso, a transnacionalidade do delito confessada pelo réu, “negando vigência à causa de aumento da pena”. A DPU, por sua vez, ponderou que o réu adquiriu os medicamentos na Venezuela para emagrecimento e fortalecimento ósseo, para consumo próprio e de sua mãe. Salientou que as provas dos autos não são capazes de afirmar com certeza a materialidade do crime, devendo ser aplicado o princípio in dubio pro reo e, ainda, que não ficou comprovado que o réu tenha adulterado, alterado ou falsificado os medicamentos. Por fim, sustentou que a saúde pública não foi lesada pela pequena quantidade de medicamentos transportados, razão pela qual pediu a reclassificação do delito para contrabando. Na decisão, o relator, diferentemente do alegado pela DPU, ressaltou que a materialidade e a autoria ficaram comprovadas pelo Auto de Prisão em Flagrante, depoimentos de testemunhas, interrogatório do acusado, Boletim de Ocorrência Policial, Autos de Apresentação e Apreensão e Laudos de Perícia Criminal. O magistrado ainda afirmou que a mera alegação de destinação dos medicamentos ao uso próprio sem o suporte de prova idônea a corroborá-la é insuficiente à descaracterização do delito. Apesar disso, o juiz federal concordou com o pedido da DPU para que o delito fosse considerado como contrabando. “O art. 383 do Código de Processo Penal autoriza a nova classificação jurídica dos fatos narrados na denúncia independentemente de qualquer diligência por parte do Juízo, dado que o réu se defende dos fatos narrados na peça acusatória, e, não, da qualificação jurídica deles. Em consequência, impõe-se a reclassificação da conduta para o crime de contrabando”, explicou. O relator finalizou seu entendimento esclarecendo que “tendo-se aplicado na sentença a pena de um ano e oito meses reclusão ao réu, a fixação da reprimenda de dois anos e quatro meses de reclusão, por conta do seu recurso, implicaria reformatio in pejus, o que é vedado pelo ordenamento jurídico. Exercendo o réu a profissão de repositor de supermercado, e sendo sua defesa feita pela DPU, deve-se reduzir a pena de multa para 10 dias-multa”. Todos os argumentos do MPF foram rejeitados pela Corte. A decisão foi unânime. Processo nº: 0001677-85.2015.4.01.4200/RR Data do julgamento: 17/4/2018 JC Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região
01/06/2018 (00:00)

Notícias Jurídicas

Newsletter

Cadastre-se e receba notícias sobre o Advogado

Previsão do tempo

Hoje - São Paulo, SP

Máx
24ºC
Min
17ºC
Encoberto com Chuvas

Terça-feira - São Paulo, S...

Máx
22ºC
Min
16ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
25ºC
Min
20ºC
Encoberto com Chuvas

Terça-feira - Rio de Janeir...

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Brasília, DF

Máx
30ºC
Min
20ºC
Nublado e Pancadas d

Terça-feira - Brasília, DF

Máx
28ºC
Min
19ºC
Nublado e Pancadas d

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .

Contate-nos

Área Especial 04 Lote B sala  503  Edifício Três Irmãos (Avenida contorno do Guará II)
-  Guará II
 -  Brasília / DF
-  CEP: 71070-901
+55 (61) 986070449+55 (61) 3972-4128
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
VISITAS NO SITE:  130358
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.